Gurdjieff

Gurdjieff
Quem é Gurdjieff?

quarta-feira, julho 18, 2012

Em Defesa da Cientologia - O Caso Tom Cruise

"A missão de Scientology não é a conquista - é a civilização. È uma guerra contra a estupidez, a estupidez que nos conduziu à última guerra de todas.
Para um Scientologist, o verdadeiro barbarismo da Terra é a estupidez. Somente no lamaçal negro da ignorância é que podem germinar os conflitos irracionais das ideologias".

L. Ron Hubbard. Scientology - Os Fundamentos do Pensamento.





Lafayette Ron Hubbard - Criador da Cientologia e da Dianética


Muito raramente assisto televisão. Hoje estava aguardando minha vez para ser atendido no consultório médico e me surpreendi com as declarações sobre a cientologia na TV de alguém que deve tê-las colhido no "tesouro informacional" que é o Google. Como era de se esperar, o episódio foi exibido no programa de Ana Maria Braga na Globo. O "especialista" em questão apenas se esqueceu de dizer que as obras cientológicas são editadas em Los Angeles, California, em várias línguas. Não é possível "baixá-las" na internet nem encontrá-las integralmente reproduzidas em sites. Suas traduções em língua portuguesa são sofríveis (deduzo que por excessivo zelo da sede americana) e difíceis de entender, sendo  preferível adquirir os volumes em inglês. Portanto, lixo eletrônico já foi escrito aos montes sobre o assunto, sem qualquer respaldo no que foi produzido de próprio punho ou anotado a partir das gravações originais das conferências de Laffayette Ron Hubbard, fundador e também criador da "dianética", a precursora da cientologia.
Este é o caso do superficial comentarista que se contenta em repetir à exaustão o que deve ter lido na Wikipedia (este depósito on line de opiniões indigentes e divergentes). Considerar que a emigração de almas para o planeta Terra (após devastador ataque com a bomba H deslanchado pelo tirano intergalático Xenu) é mais improvável que alguém ter morrido na cruz e ressuscitado é o mal de todo aquele que estupidamente confunde alegorias com narrativas históricas. Neste ponto, o indivíduo fanatizado não difere do ateu libertino e irreligioso, como diria a Senhora Helena Blavatstky. Quanto à veracidade da cosmogonia cientológica ou da sua versão propagandeada na WEB pouco se pode afirmar, pelas razões apontadas em parágrafo anterior (as estórias divulgadas não se encontram em nenhuma publicação acessível mas povoam a verborragia de alguns dissidentes do ramo principal da cientologia). 
Foto do Centro de Testes da Cientologia. Hollywood Boulevard, L.A. CA. Aqui fiz os testes cientológicos em 18/02/2012. Foto própria. 18/02/2012
Do ponto de vista religioso, se o "mito de Xenu" possuir qualquer credencial quanto à fonte (Ron Hubbard), devemos convir que ele é tão válido quanto qualquer outro nos limites da sociedade atual. Ouso dizer que em nada fica a dever a outros mitos de criação, pois impregna com corte análogo uma série de idéias propagadas por correntes da Nova Era. Logo, beneficia-se de uma "base antropológica" a sancioná-lo (por mais anedótica que seja a necessidade da contratação de um profissional especializado - preferencialmente por dispensa de licitação - para elaborar um parecer sobre o que é ou não é religião).


Prédio da Cientologia (Highland-Hollywood L.A. - CA). Foto própria. 18/02/2012
Pois bem, pode-se discordar da cientologia mas ela nada tem a ver com a versão estilizada de "Star Wars" que a TV brasileira vem difundindo. Lafayette Ron Hubbard publicou inúmeros livros com suas próprias pesquisas sobre a possibilidade de se conhecer o homem, o espírito e a vida e tive a oportunidade de ler alguns deles. Já conversei com membros da cientologia em Los Angeles e conheci de perto alguns de seus instrumentos de medição do nível de stress, familiarizando-me com certos conceitos que me soaram pertinentes. Aprecio a forma como a cientologia enxerga o homem e  seu enfoque grupo versus indivíduo. Menospreza-se muito os escritos de Ron Hubbard, que são equiparados a "desvarios" mas, na verdade, muitos não admitiriam que a moderna teoria dos jogos, a física quântica ou a cosmologia são extravagantes, mas ao voltarem-se contra os métodos da cientologia (a eficaz relação auditors x preclears, por exemplo) os mesmíssimos algozes se mostram unânimes em classificá-los como inaceitáveis. Willhem Reich também foi considerado um charlatão e louco ao defender suas teses sobre o orgone e construir máquinas para acumulá-lo, quando tão somente descobriu a força de Kundalini (o fogo serpentino dos hindus que sobe pela base da coluna) por meios próprios. 

Hollywood L.A. Meca da Cientologia. Foto própria. 18/02/2012
De fato, muitos dos críticos da cientologia ou sequer compulsaram um texto introdutório ao assunto ou, então,  rejeitaram a advertência onipresente na apresentação de cada uma de suas obras no sentido de não se prosseguir a leitura se uma só palavra não for corretamente entendida. Pouco se valorizam contribuições originais a respeito do parto doméstico (pelos traumas que as técnicas "atuais" causam nos bebês), da superação de neuroses apagando engramas, da educação das crianças e do aumento da capacidade do indivíduo em obter sucesso nos "jogos da vida" através do trabalho sobre a chamada "mente reativa" e das relações entre o "beingness", "doingness" e "haveness" (o ser, fazer e ter). Ignora-se propositalmente ensinamentos de como o indíviduo pode situar-se em relação à "escala do tom" (uma relação de afinidade decrescente que varia desde a "serenidade" no topo à "apatia", na base) evitando a descida contínua na materialidade e à situação em que os contatos se dão à base de balas ou bombas H . O grau de afinidade (a "escala do tom") mais a realidade (aquilo que é acordado e, portanto, real) e comunicação formam um triângulo que é a "pedra angular das associações vivas", o Triângulo A-R-C (Afinidade-Realidade-Comunicação), que não é equilátero, pois a Comunicação representa seu lado maior. A capacidade de comunicar-se é um ponto fundamental do pensamento cientológico, produzindo afinidade e realidade entre pessoas e grupos maiores. Como então desdenhar de uma "seita" que confere tanta importância à comunicação - base da Paz - em uma Era de conflitos irracionais que colocam em risco a vida no Planeta Terra? Eis mais um aspecto das idéias de Ron Hubbard propositalmente negligenciado pelos comentaristas de plantão.

                   Tom Cruise, cientologista, comemorando o novo filme "Rock of Ages". Êxito material e  busca da "super-humanidade" contrariam uma sociedade que cultua a derrota.
Pior ainda: o velho Ron é usado por "gurus" (entenda-se bem, impostores) de auto-ajuda sem ser citado. Esta é uma típica estratégia oportunista: vilipendia-se um determinado autor ao tempo em que sua obra é expropriada e, com um pouco de maquiagem, reproduzida com outra assinatura. É inadmissível comparar um polígrafo, físico nuclear e novelista profícuo com diversos de seus críticos, pessoas de nível mediano e formação porosa. É ainda mais fácil criticar quem adota padrões elevados de vida e não se engaja nos jogos mesquinhos e torpes da contemporaneidade. Falar de Homens e mulheres que aspiram tornar-se Deuses é um sacrilégio indesejável no planeta do deboche e da sensualidade abjeta. 
Os filiados à cientologia buscam seu aperfeiçoamento, a superação de suas limitações. Nisto não diferem de outros "crentes", mas seus métodos são mais rigorosos e testados.  Em minha opinião como alguém externo ao grupo, entendo por "superação" o estabelecimento de controles mais rígidos sobre os veículos físico, mental e emocional, o que proporciona a cristalização de um "Eu Superior", aquele núcleo perene que conserva a memória ao longo do fio das existências. Este não é um vocabulário típico da cientologia mas nos auxilia a compreender melhor o que os adeptos desta "religião" almejam. Não é algo muito diferente do que pregam os cristãos, budistas ou advogam os hinduístas e sufis muçulmanos. È apenas o "refinamento da alma". 
Alguém que cultiva a espiritualidade pode ser visto como metódico ou aborrecido, seja ele um cristão, budista, cientologista ou o quer que seja.  Ele não é alguém que arreganha os dentes levianamente, entretém-se com intrigas fortuitas, gosta de bebidas e farras ou é afeito à vida social. Esta pessoa não se interessa pela malevolência alheia ou está preocupada em parecer "normal", ajustando-se a regras societárias que contrariem seus próprios objetivos. A cientologia define um jogo com uma combinação de elementos como liberdade, barreiras e propósitos. Seu participante (ao menos aquele que tem nível elevado de "Beingness"-SER e conhece seu papel)  quer obter resultados neste jogo, muito embora respeite outras dinâmica da vida além daquela do seu próprio EU. Este é um comportamento extravagante para o padrão dominante. Aliado ao êxito material,  configura-se como odioso para uma sociedade aferrada dramaticamente à derrota. 
As luzes que a imprensa e seus parvos articulistas lançaram sobre a recente separação do ator Tom Cruise trazem à tona uma evidente e pavorosa ignorância sobre o que preconiza a cientologia. A bolha de sabão explode ao mínimo contato com a realidade por meio da observação das próprias atitudes do artista e seu sucesso profissional. Contra fatos não há argumentos, apenas ódio cego e artimanhas da velha serpente sob a forma do pecado da inveja.

Viva Tom Cruise, John Travolta e Ron Hubbard!

9 comentários:

Degoi Ceroijau disse...

Como nos diz tio G. "É preciso estar atento a tudo aquilo que possa macular sua mente."

Anônimo disse...

Adorei o seu site e ele expõe de fato os fatos. Muito obrigada pela sua observação inteligente.

Anônimo disse...

Eu gostei do enfoque. Gostaria que você expusesse melhor o que é cientologia. Abraço, Bob.

Lilian disse...

Cientologia significa "o estudo do saber" e contém conhecimento útil que podemos aplicar para ter mais autoconfiança, melhor comunicação e uma vida mais produtiva.
Saiba mais em www.dianetica.org.br e www.scientology.pt

Rogoneto disse...

Finalmente a publicação de um texto oportuno, válido e de qualidade sobre cientologia.
Há "uma evidente e pavorosa ignorância sobre o que preconiza a cientologia".
Acrescento que é minha opinião existir um paralelismo de valor igual ou mesmo superior que deram impulso à nossa civilização; e para ambos os valores uma frase bem aplicada: (A pedra que rejeitaram os construtores tornou-se pedra angular).
A humanidade poderá não sobreviver caso a cientologia continue a ser perseguida como sempre tem sido alvo, e muito em particular recentemente.
Pessoalmente foi o conhecimento que me proporcionou mais bem estar e sucesso.
L. Ron Hubbard poderá ficar na história ao lado dos maiores de todos os tempos.

C. Baptista disse...

Fico profundamente feliz com os comentários dos leitores. Eu mesmo tenho verificado que a cientologia se ajusta perfeitamente bem a alguns dos meus pontos de vista. Ainda tenho que conhecê-la um pouco mais, porém já percebi que está longe de ser a coisa caricata que a mídia putrefata diz.
Abraços.

Anônimo disse...

E como quem quer que já tenha passado fome sabe: a realidade não está nem ai para o como achamos que as coisas deveriam ser. Cada um de nós tem o poder de escolha não importando as conseqüências. Não sou fã de cientologia, mas, respeito o que você acredita, pois, o livre arbítrio não é mais uma heresia assumida, mas sim o estado natural das coisas.. todo ser humano é intrinsecamente um indivíduo independente, com seu próprio caráter e órbita. O que tem acontecido é que, um número pequeno de idiotas que estão por trás dos bastidores manipulando a maioria que, são imbecis demais para ter opinião própria. Agora com relação ao fantoche illuminati-sionista favorito... É... acho que ele não está bem:

http://thoth3126.com.br/reptilianos-livro-body-snatchers-cap-11-e-12/

C. Baptista disse...

Caro anônimo, é isso mesmo. Cada um vaz seus próprios julgamentos sobre o quer que seja. É a democracia que deve ser exercitada dentro de seus marcos.

Anônimo disse...

Caro C. Baptista ... puxa vida, está de parabéns pela excelente explanação sobre a Cientologia (embora eu seja um iniciante a respeito). Finalmente (acho q já comentaram isto por aqui) alguém que tenha se dado ao trabalho (e pelo visto prazer) de expor algo com Decência e propriedade sobre o assunto! Muito obrigado! Possamos todos avançar para além de nossos limites, manifestando a Luz, a Paz, a Liberdade e o Sucesso (ao invés de derrotismo) onde quer que nos manifestamos neste Universo! Luz e Paz! Parabéns uma vez mais, Tiago Brandão.